Relatório da OCDE refere recuperação económica do País


O Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou que «o Governo se reconhece em muitas sugestões» apresentadas no relatório da OCDE, que assinala também a recuperação económica do País.
No final da conferência de imprensa para apresentação do documento, que decorreu em Lisboa, onde esteve também o Secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, o Ministro referiu a «necessidade de continuar a apostar na qualificação, nomeadamente dos desempregados de longo prazo».
O Ministro referiu também a importância de trabalhar em conjunto com a OCDE, que tem apoiado o País «na formulação de políticas públicas e no acompanhamento da sua execução.»


Atrair emigrantes e apostar no crescimento verde
Entre as várias sugestões apresentadas no relatório, Pedro Siza Vieira destacou a importância de «trabalhar na atração de imigrantes e dos que já emigraram nos últimos anos e que partiram em número tão significativo» e deu como exemplo o Programa Regressar, que tem sido uma prioridade do Governo.
O Ministro referiu também a necessidade de apostar no «crescimento verde», conforme apontado no Relatório, através a melhoria «do apoio aos transportes públicos» e reforço das respetivas frotas. A «tributação das fontes de energia mais poluentes, no sentido de reduzir a intensidade em dióxido de carbono», são outras das medidas tomadas por este Governo para a cocretização desse objetivo.


Proteger os mais vulneráveis e simplificar os procedimentos administrativos
Pedro Siza Vieira referiu que importa «continuar a trabalhar na proteção de grupos mais vulneráveis como os desempregados de muito longa duração e os segmentos da população com mais baixas qualificações, que são também aqueles em que os rendimentos são mais reduzidos».
o Ministro disse ainda que, em sintonia com o  Relatório, «Portugal continuará a trabalhar na simplificação dos procedimentos administrativos e na melhoria do desempenho dos tribunais», acrescentando que «o Governo está comprometido com o reforço da competitividade das empresas e da intensidade exportadora da nossa economia».


Economia Portuguesa está «na direção certa»
O Secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, afirmou, por sua vez, que a economia portuguesa está «na direção certa» para promover um crescimento mais sustentável.
«As ambiciosas reformas estruturais implementadas com sucesso por Portugal, na última década, contribuirão para a continuação da recuperação. A economia está a evoluir na direção certa para promover um crescimento mais sustentável», referiu ainda.
Angel Gurría disse também que «quanto mais Portugal reforçar a sua capacidade de resistência, enquanto a economia estiver a crescer, tanto melhor estará preparado para responder a eventuais choques futuros, assegurando a sustentabilidade e a inclusividade da sua recuperação económica»
Angel Gurría destacou também a «excelente colaboração do Governo» e aplaudiu as «boas notícias» que chegam sobre a economia portuguesa: «dez anos depois de uma crise muito destrutiva, a recuperação está agora bem consolidada».
O Secretário-geral disse ainda que «o papel da OCDE é dar um espelho a Portugal e aos outros países» e levantar questões: «gosta do que vê no espelho ou não? Acredita que deve ajustar um pouco?»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *