Programa Indústria 4.0 entra na segunda fase


«Nesta nova fase da iniciativa, criada para dar resposta à revolução digital, estima-se a mobilização de investimentos públicos e privados no valor de 600 milhões de euros, nos próximos dois anos», refere a área governamental do Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, em comunicado.
«Pretende-se envolver, nas várias iniciativas, 20 mil empresas, formar mais de 200 mil trabalhadores, e financiar mais de 350 projetos», acrescenta o comunicado.
Sublinhando que «esta é uma ferramenta essencial para alargar amplamente a digitalização da economia», acrescenta que «a segunda fase inclui três eixos:  Generalizar, Capacitar e Assimilar», que se desdobram em 11 recomendações e várias medidas aceleradoras.
«As medidas incluem a partilha de conhecimento, experiências e benefícios como forma de estimular a transição massificada para o Programa Indústria 4.0 através de uma ferramenta que permite às empresas fazer um autodiagnóstico sobre a sua maturidade digital (o Shift 4.0)», refere o comunicado.
«Decorrerá um Roteiro para o Conhecimento do Programa Indústria 4.0, que promoverá o diálogo entre a Academia e as empresas, e haverá o reforço do Programa Open Days Indústria 4.0 para apresentação e promoção de boas práticas», refere ainda.
Transição inclusiva e emprego qualificado
O comunicado refere ainda que se vão «adequar os conhecimentos para permitir às empresas a transição, de forma inclusiva e com base em emprego qualificado». 
Este objetivo será atingido através de uma rede de academias Indústria 4.0 para que se desenvolvam planos de qualificação dos seus colaboradores.
No eixo Assimilar, «estão definidas medidas para a promoção, facilitação e financiamento do acesso das empresas à experimentação de métodos e tecnologias Indústria 4.0, bem como o apoio à sua transição digital», refere o comunicado. Serão ainda disponibilizadas soluções de crédito adequadas às necessidades das empresas.
No 3.º trimestre de 2019 serão apresentados novos apoios para a inovação produtiva, e serão criadas plataformas de colaboração entre a tecnologia e a indústria, para além de formação em cibersegurança.
Contexto e concretização
O Programa Indústria 4.0 foi apresentado em 2017 e assenta nos eixos: capacitação das pessoas, cooperação tecnológica, criação da startup Indústria 4.0, financiamento, apoio ao investimento, internacionalização e adaptação legal e normativa. 
Das 64 medidas contempladas nesta iniciativa, 95% já foram executadas, abrangendo mais de 24 mil empresas e 550 mil trabalhadores.
A apresentação da segunda fase do Programa decorrerá no dia 9 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *