Motoristas: Governo admite outras medidas caso seja necessário


O primeiro-ministro, António Costa, garantiu hoje, que o Governo não hesitará em exercer as “competências próprias”, adotando outras medidas, caso a greve dos motoristas avance e os serviços mínimos fixados não sejam cumpridos.

“Adotaremos as medidas necessárias”, frisou, no final da reunião de emergência de hoje, destinada a coordenar a resposta do Governo face aos efeitos da greve dos motoristas. “Estamos em condições de dar a resposta possível” em qualquer cenário, repetiu.

“Só avançaremos para passos subsequentes se, quando e na medida em que seja estritamente necessário”, ressalvou António Costa, esperando que “ainda seja possível ultrapassar o conflito”.

Se tal não acontecer, “tudo está previsto para que, na hipótese de avançar a greve e não serem respeitados os serviços mínimos, o Estado tenha condições para assegurar a autoridade democrática e o cumprimento da lei”, asseverou.

“Um Governo responsável tem de se preparar para o pior”, realçou o primeiro-ministro, que hoje se reuniu em São Bento com os ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, da Administração Interna, Eduardo Cabrita, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, e do Ambiente e Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *